Feeds:
Posts

Este artigo não tem relação com tecnologia que é o tema do blog mas como escrevi esse outro artigo sobre aplicativos para melhorar as funções cognitivas achei esse aqui interessante e resolvi traduzir para vocês.

O link para o artigo original está lá no final.


WASHINGTON (AP) — By LAURAN NEERGAARD
A pesquisa mais recente sobre o Alzheimer tem um tema claro: Mude o seu estilo de vida para proteger o seu cérebro.

Ainda vai demorar vários anos para que os cientistas consigam provar se algumas drogas experimentais conseguem ao menos diminuir o progresso do Alzheimer, e a população que está envelhecendo corre risco agora.

O que quer que aconteça na área da pesquisa farmacêutica, existem medidas diárias que as pessoas podem adotar – desde melhorar a qualidade do sono a lidar melhor com o stress e ler mais – que a pesquisa sugere que pode diminuir o risco de Alzheimer.

Adotar essas mudanças no estilo de vida “parece mais promissor do que os estudos sobre drogas até agora” disse o Dr. Richard Lipton do Albert Einstein College of Medicine em Nova York; seu laboratório realiza pesquisas sobre envelhecimento saudável. As descobertas sobre o stress fizeram com que o Dr. Lipton começasse a praticar yoga.

Aqui vão cinco dicas para proteger o seu cérebro contra perda de memória, com base em pesquisas da Alzheimer’s Association International Conference:

MELHORE A QUALIDADE DO SEU SONO

Estudos com mais de 6.000 pessoas relacionaram baixa qualidade do sono – e em especial  a apneia do sono – com problemas de memória denominados comprometimento cognitivo leve o que pode levar mais tarde ao Alzheimer. Outra pesquisa demonstrou que o sono de baixa qualidade pode induzir a produção de placas de amiloide que são características do Alzheimer.

Converse com seu médico se você está tendo problemas para dormir, aconselha a Dra. Kristine Yaffe da University of California, San Francisco: “Transtornos do sono são comuns, e pensamos que muitos são facilmente tratáveis”.

EXERCITE A SUA MASSA CINZENTA

Idosos são frequentemente aconselhados a fazer palavras cruzadas, ter aulas de música ou aprender um novo idioma para manter o cérebro ativo. Os efeitos protetores do aprendizado podem começar várias décadas mais cedo.

Na Suécia, pesquisadores do Karolinska Institute coletaram boletins escolares e históricos de trabalho de mais de 7.000 adultos. Boas notas aos 10 anos de idade demonstraram um menor risco de demência em idade mais avançada. O mesmo foi percebido em profissões que requerem proficiência com números ou, no caso das mulheres, interações complexas com pessoas – ocupações como pesquisa ou ensino.

Porque? O aprendizado e o pensamento complexo reforçam as conexões entre os neurônios, construindo uma “reserva cognitiva” para que quando o Alzheimer ataque o cérebro possa suportar mais antes que os sintomas se tornem aparentes.

MEXA-SE

O que é bom para o coração também é bom para o cérebro e a atividade física combate uma série de problemas – hipertensão, diabetes, colesterol alto – que podem aumentar o risco de perda de memória em idade avançada.

Comece cedo: Um estudo acompanhou os hábitos de 3.200 jovens adultos por 25 anos e determinou que aqueles menos ativos foram os que tiveram pior cognição na meia-idade.
Hábitos sedentários como assistir TV contribuíram. A Dra. Yaffe – que acabou de mandar elevar a sua mesa para que pudesse passar mais tempo em pé – se preocupa com a quantidade de tempo que as crianças passam em frente a uma tela.

NÃO ESQUEÇA A SAÚDE MENTAL

Depressão na velhice é um fator de risco para o Alzheimer. Pesquisadores de Harvard identificaram que solidão também é um fator que acelera o declínio cognitivo em um estudo que acompanhou mais de 8.000 idosos por uma década.

Estresse também é ruim para o cérebro, disse o Dr. Lipton. Não apenas vivenciar situações de estresse – todos passamos por isso – mas como lidamos com ele. Remoer eventos estressantes, por exemplo, prolonga os efeitos prejudiciais sobre os neurônios. Um estudo determinou que idosos com menos capacidade de lidar com o estresse tinham muito mais chances de desenvolver um comprometimento cognitivo leve do que aqueles que conseguiam superá-lo com mais facilidade.

ALIMENTE-SE DE MANEIRA SAUDÁVEL

Dietas ricas em frutas e vegetais e com pouca gordura e açúcar são boas para as artérias que levam sangue ao cérebro. Diabete tipo 2, relacionada à obesidade, aumenta o risco de demência na velhice.
Independente do peso, o laboratório do Dr. Lipton constatou que uma dieta saudável diminui os riscos para as “funções executivas” – como o cérebro presta atenção, organiza e realiza múltiplas tarefas.

Link para o artigo original – 5 Lifestyle Changes to Protect Your Brain

Espantando o Alzheimer

Você assistiu aquele filme, “Para Sempre Alice”, com a Julianne Moore?

Para quem não assistiu, é sobre uma mulher na faixa de 50 anos que descobre que está sofrendo de Alzheimer precoce. Ela é uma professora universitária de linguística, casada, com três filhos adultos e bem-sucedidos. De repente, percebe que a sua memória está indo embora. No decorrer do filme a gente acompanha essa perda gradativa, desde as pequenas coisas, como esquecer uma palavra no meio da aula, passando por esquecer o caminho de casa até que ela já não lembra mais de si própria. Assustador, não?

Há alguns anos ninguém falava em Alzheimer. Perder a memória era coisa de gente idosa e aceito como natural, assim como envelhecer, perder os dentes, a audição e ter dificuldade para se locomover. Encontrar pessoas muito idosas e ainda lúcidas é raro.

Ainda não descobriram o que causa o Alzheimer e nem toda perda de memória é causada pelo Alzheimer. Mas se a gente já passou de uma certa idade e começa a ter dificuldade para lembrar do que foi comprar no supermercado ou esquece onde colocou as chaves do carro ou o celular, já começa a se preocupar achando que a memória está indo embora.

Esquecimento e distração não estão sempre relacionados à idade avançada. Stress, muitos afazeres, Whatsapp pipocando a todo minuto, quem consegue manter o foco o tempo todo?

Por outro lado, o cérebro precisa de exercício. Se não utilizamos, atrofia, não é mesmo?
Muitas pessoas fazem palavras cruzadas ou Sudoku como forma de exercitar o cérebro.  Depois que assisti o filme resolvi voltar a fazer palavras cruzadas. Procurei e baixei alguns aplicativos no iPad.

Não sou muito fã de Sudoku mas decidi experimentar também e baixei outro aplicativo. Não demorou muito para que começassem a surgir recomendações de aplicativos para melhorar as funções cognitivas no meu navegador.

Muitas vezes essa “perseguição” do Google oferecendo recomendações baseadas nas nossas buscas é irritante e até mesmo invasiva mas nesse caso valeu a pena. Baixei vários aplicativos para experimentar.

O principal argumento desses aplicativos é que “diversas pesquisas demonstram que o treinamento online é uma forma eficiente de construir uma reserva cognitiva e aumentar a capacidade do cérebro”.
Segundo eles, apenas palavras cruzadas ou Sudoku não exercitam todas as áreas do cérebro. Acredito que seja verdade.

Minha maior deficiência é justamente a memória, principalmente a espacial. Sou extremamente distraída e estou sempre perdida em lugares que não conheço muito bem. Quando viajo para o exterior ando sempre com o celular na mão acompanhando o Google Maps e mesmo assim, muitas vezes tomo o caminho errado. Aqui não dá para andar com o celular na mão, então vou me perdendo e me achando.

Sobre os aplicativos que estou experimentando, todos eles tem uma parte gratuita com algumas variações. A rotina diária é determinada pelo aplicativo e composta de 3 ou 4 exercícios para diversas funções, memória, atenção, lógica, velocidade e reação. Alguns deles deixam você repetir os exercícios diários à vontade, outros só algumas vezes até completar o ciclo. Se quiser mais, tem que pagar. Todos eles fazem medições para você acompanhar a sua evolução.

Quase todos os exercícios tem um limite de tempo, ou quantidade de vidas, como nos jogos. Da mesma forma que nos jogos, você começa no nível mais fácil e a dificuldade vai aumentado de acordo com o seu desempenho. É como na academia, só que ao invés de exercitar os músculos você exercita o cérebro.

Conforme você vai avançando, em alguns casos chega a “doer o cérebro” como diz uma amiga minha. Mas se está doendo é porque está funcionando, não é? Não sei. Cada um tem o seu limite. O negócio é exercitar, não ficar com dor de cabeça.

Todos os exercícios se parecem com joguinhos. Alguns são lindos, super bem-feitos! Tem pontuação e níveis porque a prática determina que isso estimula o usuário a continuar “competindo” sempre tentando alcançar um nível mais alto. Em alguns casos, pode ser frustrante mas acho que o essencial nesse caso é continuar com os exercícios, mesmo que não se consiga avançar até o nível mais elevado.

Pela minha experiência nas duas últimas semanas, tem dias que me saio melhor, outros nem tanto. A recomendação é que você faça os exercícios sempre no mesmo horário, de preferência de manhã, depois do desjejum. O alimento do cérebro não é comestível mas ele também não funciona bem se o corpo não estiver alimentado.

Se você ficou curioso e quer experimentar, aí vão os que estou usando. Ainda não me decidi por nenhum deles. Os preços também são bem variados.  A lista não tem nenhuma ordem de preferência. Todos os meus comentários se referem às versões gratuitas.

Fit Brains da Rosetta Stone 

Fit Brains 2

 

Oferece uma rotina diária de quatro jogos e não permite repetir essa rotina mas possui alguns jogos gratuitos para quem quiser complementar. Pena que são sempre os mesmos.
Tem versões para iPad e Android e oferece opção de idioma em Português.
Tem uma versão para o browser também mas acho que só em Inglês.
A visualização da evolução mostra apenas um gráfico simples mostrando a quantidade de pontos em cada uma das categorias e evolução diária dos pontos. A comparação com outros usuários é restrita à versão paga.
http://www.fitbrains.com/

 

Lumosity

Lumosity

Oferece uma rotina diária de três jogos e permite repeti-los quantas vezes você quiser no mesmo dia. Na minha opinião é o que tem os jogos mais bonitos. No meu caso, os de atenção são quase viciantes. Jogo várias vezes até cansar.
Tem versões para iPad e Android e browser.
Não consegui encontrar opção de outro idioma além do Inglês mas se você tem conhecimento suficiente para compreender as instruções, vale a pena experimentar.
A visualização da evolução na versão gratuita é praticamente inexistente, apenas um gráfico simples mostrando a quantidade de pontos em cada uma das categorias.
http://www.lumosity.com/

Atualização: Hoje soube que o Lumosity já está disponível em português.
Para fazer o download do aplicativo Lumosity para iOS em português, vá até: https://itunes.apple.com/us/app/lumosity-mobile/id577232024?mt=8

Para fazer o download do aplicativo Lumosity para Android em português, vá até: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.lumoslabs.lumosity&hl=pt_BR

 

Peak

Peak 2Oferece uma rotina diária de 4 jogos e permite repeti-los quantas vezes quiser no mesmo dia.

O diferencial deste é que ele estabelece um objetivo diário de pontos que você deve atingir no dia e para isso precisa repetir os jogos várias vezes. Esse objetivo vai aumentando à medida que você evolui.
Só tem versões mobile para iPad e Android.
Não consegui encontrar opção de outro idioma além do inglês mas se você tem um conhecimento suficiente para compreender as instruções, vale a pena experimentar.
Possui um bom gráfico para acompanhamento da evolução e promete um detalhamento por jogo e atividade na versão paga.

http://www.peak.net/

 

NeuroNation

 

Neuronation 1

Oferece uma rotina de quatro exercícios diários e permite repeti-los à vontade.
Tem versões para iPad, Android e browser.
No iPad tem opção de idioma em Português. No browser só em Inglês e Alemão. Não sei quais as opções de idioma no Android.
Possui um bom gráfico para acompanhamento da evolução detalhado por categoria.

http://www.neuronation.com/

 

 

 

 

Memorado

Memorado

Oferece uma rotina de três exercícios diários sem repetição. Alguns dos jogos só ultrapassam um determinado nível na versão paga.
Possui três jogos liberados na versão gratuita.
É o mais restrito de todos.
Só tem versão para iPad e browser e em inglês.
Possui um bom gráfico para acompanhamento da evolução.

http://memorado.com/

 

 

 

 

Elevate

 

Elevate 1Esse é um pouco diferente. Seu foco é linguagem e matemática.

Oferece três jogos diários liberados durante o dia inteiro.
Se você tem um inglês fluente é um bom exercício.
Tem versões para iPad e Android.
Os gráficos são bem detalhados.

http://elevateapp.com/

 

 

 

 

 

Em todos eles você precisa se cadastrar, mesmo na versão gratuita. Não acho que isso seja um impedimento mas tem gente que não gosta.

Enquanto você não faz o upgrade para a versão paga vai ficar recebendo ofertas para isso. Nada demais, é assim que funciona o mundo dos aplicativos freemium (parte gratuita e parte paga).

Se você está pensando que o seu dia já é cheio demais e não tem tempo para isso, a maioria dessas rotinas não leva mais do que 10 minutos.

Depois de duas semanas de “treinamento” eu ainda não tenho base para avaliar se a minha memória espacial melhorou. Acho que vou descobrir na próxima vez em que tentar encontrar o caminho para algum lugar desconhecido. Independente disso, me sinto bem exercitando o cérebro, principalmente de formas que não faço no dia-a-dia.

Assim como as causas do Alzheimer ainda são desconhecidas, não há nenhuma prova de que exercitar o cérebro afaste ou atrase o aparecimento dessa doença. Eu apenas usei a referência do filme como motivação para experimentar os jogos. Mal não deve fazer.

Se você já utiliza ou utilizou algum desses aplicativos, seu comentário será bem-vindo.

P.S.: Eu já tinha a ideia de escrever esse artigo desde a semana passada mas ficava enrolando. Meu treinamento de foco ainda precisa melhorar bastante! Mas a coluna da Cora Ronai de hoje me inspirou a terminar. Me mostrou que sempre há espaço para um treinamento cognitivo básico e além disso está engraçadíssima! Os comentários também!

Esqueci a minha senha!

Digite sua senha.
*********


Sua senha não confere.
Você esqueceu a sua senha?

– É claro que esqueci a minha senha!!! Quem é capaz de lembrar de tantas senhas?

– É senha do cartão do banco, do cartão de crédito, do banco eletrônico, que obviamente, não é a mesma do cartão.
– Senha do email, do Facebook, do site do Ingresso, da TAM, da GOL, da farmácia, de cada site de compras que eu tenho que me registrar!
– Porque me obrigam a fazer um cadastro pra comprar um liquidificador?
– E ainda o número do CPF, do RG… Não dá prá guardar tudo na cabeça. Haja memória!

– Ainda bem que não preciso mais lembrar de números de telefone. Estão todos guardados no celular.
– Ih, mas e seu eu perder o celular? Ah, ainda bem que tem o iCloud.
– Mas também precisa de senha pra acessar o iCloud! Qual é mesmo a senha?
– Ah, é a mesma que eu uso pra baixar aplicativos. Essa eu lembro, ainda bem.

Senhas são um mal necessário. Infelizmente. Se não fossem as senhas, qualquer pessoa poderia acessar o seu email ou entrar no Facebook e compartilhar besteiras fingindo ser você.
Se não fosse a senha do cartão do banco, qualquer pessoa poderia sacar o seu dinheiro! Ou usar seu cartão de crédito!
Antigamente, sacar dinheiro era só com cheque ou assinatura na boca do caixa. Já não lembro mais quando foi que assinei um cheque.

Agora ficou tudo mais fácil, basta um cartão e um chip eletrônico. E a senha!
Mentira. Meu banco já não usa mais senhas para sacar dinheiro. Só a impressão digital. Só preciso lembrar de levar o dedo. E o número da agencia e da conta se estiver sem o cartão. Mais números para lembrar! Haja memória!

Hoje em dia é tudo eletrônico. Muito mais fácil. Mas precisa de senha.
Malditas senhas! Como é mesmo a minha senha?

Digite sua senha.
**********

Você esqueceu a sua senha? Clique aqui.

Fácil, não?
Mais ou menos.

Você clica no link e o site te envia um email com outro link para você criar uma nova senha.
– Outra senha? Eu queria a mesma! Era só eles me enviarem a senha por email.

É. Seria mais fácil. Mas não muito seguro. Verdade. Acredita em mim.
Se você esqueceu a sua senha é sinal de que ela não era muito boa. Melhor criar uma nova.

Se é um site que também tem um aplicativo de celular como o Facebook, por exemplo, você vai precisar informar a nova senha no computador. E no tablet, se você também usa. Trabalheira, não?

– Que diferença faz se alguém souber a senha que uso no site da farmácia ou do supermercado?

Não muita.
Mas e se você acha que é muito complicado criar uma senha para cada coisa e resolve usar a mesma senha do banco para todos os sites que te pedem senha?

– Ah, mas como é que o cara vai saber qual é o meu banco?

Pode ser que não saiba, mas também pode ser que você tenha informado os dados da sua conta em algum lugar do site. Tem uns sites que pedem tanta informação que dá até vontade de desistir!

Aí você pensa: Eu não sou tão ingenuo assim. Claro que não uso a senha do banco!

Mas ninguém consegue lembrar de tantas senhas diferentes. Então acabamos usando uma mesma senha para várias coisas diferentes. Tudo bem que não é a senha do banco mas nem por isso você está 100% seguro.

Volta e meia aparecem notícias de que algum site foi invadido e roubaram dados de milhões de usuários. E com esses dados eles podem invadir outros sites. E mesmo que você não tenha uma conta nesse site, nada garante que o próximo não vai te pegar.

– Ai, meu pai! E agora? Voltar pro século passado, jogar o computador no lixo e comprar uma máquina de escrever?

Também não é pra tanto. Até porque vai ser difícil encontrar uma.

E o que você vai fazer com uma máquina de escrever? Não dá prá acessar a internet com ela!

E toda essa preocupação com senhas é por causa da internet. Porque de uns tempos prá cá, grande parte da nossa vida está lá. Nossos amigos, nossas fotos, nossas conversações, nossas compras. E filmes, jogos e músicas.

Pensando bem, é difícil imaginar a vida de hoje sem internet. E sem senhas.

Então é isso. Se queremos usar a internet precisamos aturar as senhas. E se queremos navegar de maneira segura não adianta ter uma senha fraca.

Aí vão algumas dicas pra criar e utilizar senhas mais seguras sem esgotar a sua memoria.

Crie uma senha forte.

Pra começar, você precisa de uma boa senha.

– E o que é uma boa senha?

Uma boa senha é uma que seja fácil de lembrar mas que também seja difícil de quebrar.

Uma senha pode ser quebrada por outra pessoa ou por um programa de computador criado por um hacker.

Você já deve ter visto em filmes como uma pessoa pode descobrir a senha de outra. A cena mostra o cara olhando uma foto em cima da mesa e magicamente descobre que a senha é o nome do cachorro. Ou do gato. Ou do filho. Ou a data do aniversário do filho.

– Mas isso é coisa de filme! Não acontece na vida real!

É mesmo? Você ficaria surpreso se soubesse as senhas que algumas pessoas utilizam.

Já os hackers criam programas que ficam tentando letras e números até encontrar a combinação certa. Esse método se chama força bruta. E dependendo do caso, podem utilizar informações obtidas através do roubo de dados pessoais, como no caso dos sites invadidos.

Por isso, quanto mais complicada for a sua senha, mais difícil será de quebrá-la. Uma senha complicada é não é necessariamente difícil de lembrar.

Senhas como senha, 123456 e QWERTY são horríveis. Porque são fáceis de quebrar. São as escolhas mais comuns e as primeiras a ser experimentadas.
Não sabe o que é QWERTY? Olhe para o teclado.

098765 também é ruim, espertinho! E POIUY, também.
Só porque é mais difícil pra gente não quer dizer que é boa. Um programa de computador descobre essas em milésimos de segundas.

Também não pense que você está sendo esperto se utilizar password, admin, boss, god ou qualquer dessas palavras em inglês. Também são super comuns. E a maioria dos hackers sabe inglês.

– Então, o que faço?

A recomendação básica é criar uma senha que contenha uma mistura de letras maiúsculas e minúsculas, números e caracteres especiais, como @, % e !.

Mas assim vai ficar muito complicado!
Complicado para os hackers, mas não prá você.
Vamos experimentar?

Ao invés de pensar em uma palavra, pense numa frase simples, como por exemplo:

Eu como jiló

No site da Intel tem um formulário que calcula o tempo necessário para quebrar uma senha. De acordo com o eles, essa é uma boa senha e seriam necessários 591 anos para quebrá-la.

Mas é bom não utilizar acentos porque alguns sites podem não saber lidar com eles. Nem toda língua usa acentos como o português.

Eu como jilo

Ficou um pouco mais fácil de quebrar essa senha. Apenas 480 anos. Imagina um programa de computador rodando por 480 anos pra tentar quebrar a sua senha. Nada mal!

Ei, onde você vai? Ainda não acabamos!

Espaços também podem ser um problema para alguns sites então é melhor não usá-los.

Eucomojilo

Ficou pior do que antes. Mas ainda assim, seriam precisos 5 meses para quebrar essa senha, o que é nada mal.
Mas ainda não terminamos.

Alguns sites obrigam o uso de algarismos na senha. Eu sei. Haja paciência. Mas é para o nosso bem. Então vamos adicioná-los.

Eucomo50jilos

Parabéns! Seriam necessários 1219 anos para um hacker descobrir essa senha.

Ela é fácil de lembrar mas suficientemente complicada para um programa.

E só prá complicar um pouquinho mais, adicione um sinal de pontuação.

Eucomo50jilos!

Essa é um Hulk! 39021 anos para quebrar. E nem foi tão difícil assim.

Peraí! Não vá embora ainda!

Antes que você saia trocando as suas senhas por Eucomo50jilos!, crie a sua própria frase.
Se estiver com preguiça de pensar, troque por 20repolhos ou 300abobrinhas.

O segredo é ter uma boa frase que seja fácil de lembrar seguindo essas dicas. Pense em um filme, livro, novela. O que for mais fácil prá você lembrar.

E se você quiser saber se a sua senha é forte, pode usar esse site para testá-la – https://www.passwordday.org/.
Está em inglês mas isso não é problema. Basta digitar a sua senha no campo e observar a cor do resultado.

Se der vermelho é sinal de que a sua senha é muito fraca.
Amarelo é mais ou menos. Você pode fazer melhor.
O melhor é o verde! Como o Hulk! Ou jiló.

Fruta_Jiló

Senhas Numéricas

Nem todos os sites aceitam frases como senhas. Alguns ainda exigem que a gente use uma senha numérica.

Não use a data do seu aniversário ou seu CPF. São muito óbvias.
Você pode misturar a data do seu aniversário de casamento com o aniversário da pessoa amada, por exemplo. Ou de namoro. Assim não corre mais o risco de esquecer essas datas tão importantes!

Ou um número de telefone antigo que você não usa mais. Ou uma combinação qualquer que seja fácil de lembrar.

Mas não vá embora ainda! Tem mais uma dica prá você!

Senhas armazenadas no Chrome

Se você usa o navegador Chrome, já deve ter percebido que ele te pergunta se você quer que ele guarde a senha de um site pra você.
Isso não é ruim.
Mais ou menos.
É bom porque você não precisa ficar lembrando nem digitando senhas.

Mas pode ser péssimo se o seu computador não tem senha ou se você não bloqueia a tela quando não está perto dele.

Se o seu computador não tem senha, crie uma agora, já!

Já, não, daqui a pouco, quando você terminar de ler.

Um computador desbloqueado sem senha é como deixar a porta de casa escancarada. E você não faz isso, certo?

Bom, voltando a dica. Sabe quando você pede pro Chrome guardar a sua senha e daí esquece dela? Totalmente natural. Se o Chrome lembra por você, porque ocupar a memória com mais uma senha?
Só que alguns desses sites também tem aplicativos, como o ingresso.com ou a Gol e a TAM, por exemplo. E aí você precisa informar a senha no celular e cadê que você lembra?

É claro que você não lembra, mas o Chrome lembra, não é? E se ele lembra é porque guardou em algum lugar no seu computador.

Abra uma aba no seu browser e digite chrome://settings/passwords. Ou, se está com preguiça de digitar, copie e cole esse comando na barra de endereços e aperte o Enter.

Tcharan!

Uma janela com todas as suas senhas armazenadas!

– Mas estão escondidas com asteriscos…

É claro que estão!
Afinal, qual a segurança de poder armazenar suas senhas se qualquer um pudesse se aproveitar de uma janela aberta?

Clique numa das linhas e clique no botão para mostrar a senha.
Prá conhecer a senha você vai precisar informar a senha do seu computador.

Senhas são uma chateação, mas também são importantes. Tem gente que só descobre o quanto são importantes depois que teve seus dados roubados.
Você não quer ser uma dessas pessoas, né?

Última dica: Não use a mesma senha para o seu email e para as redes sociais. Assim, se um hacker descobrir uma, não descobre a outra. Não é tão difícil pensar em algumas frases diferentes.

Pronto! Agora terminei.

Se gostou, compartilhe essas dicas com os amigos.

O que você está esperando pra criar uma boa senha?

whatsappIsso deve ter acontecido com vocês também.

De uns tempos para cá, muitos dos meus grupos de amigos que só utilizavam o Facebook passaram a usar o Whatsapp.
É muito mais difícil escrever no celular do que no computador, mas como o celular está quase sempre à mão, e o aplicativo do Whatsapp é muito mais rápido e prático do que o do Facebook, a maioria das pessoas acaba preferindo o primeiro.

Até aí, nada demais. Só que isso acarretou alguns inconvenientes.

Se você participa de grupos do Whatsapp já deve ter se irritado com as eventuais avalanches de mensagens, sempre precedidas daquele barulhinho característico. Quando você está participando da conversa nem percebe mas quando está ocupado com qualquer outra coisa, dá vontade de jogar o celular na parede ou afogá-lo no primeiro copo d’água que estiver pela frente.

E caso você seja daquele tipo de pessoa que não desliga o celular nem quando vai dormir porque, afinal, ele é o seu despertador, corre o risco de ter o seu sono interrompido por um amigo sem noção de horário ou fuso.

Tem coisa mais chata do que estar quase adormecendo e ser perturbado pelo som do Whatsapp? Tem, mas não vem ao caso agora.

Você pensa: não deve ser nada importante, vejo quando acordar. Mas no que parou prá pensar, o sono que estava quase chegando parou no meio do caminho vencido pela curiosidade. E se for alguma coisa importante? Daí você cata os óculos, pega o celular, lê a mensagem e, na maioria das vezes, é um comentário sem importância sobre uma conversa de cinco horas atrás que um amigo atrasadinho só viu agora.

Ou algum amigo que está há sete fusos de distância, acordou e resolveu comentar como o dia está lindo! Mas esqueceu que aqui ainda é de noite e tem gente querendo dormir!

Daí você pensa três vezes se responde com uma grosseria ou deixa prá lá, conclui que isso pode levar a mais mensagens inconvenientes e decide tirar o som do celular.

Nesse meio tempo, o sono que estava quase chegando e parou no meio do caminho quando escutou o barulhinho da mensagem decidiu pegar o caminho de volta pro lugar onde os sonos ficam guardados. E até que você consegue convencê-lo a voltar pro seu travesseiro, uma ou duas horas se passaram.
E daí você perdeu hora pro trabalho, porque não escutou o despertador e nem a ligação do chefe porque…. você tirou o som do celular para não ser perturbado pelo Whatsapp!!

Antes que você tire o som do celular e corra o risco de perder alguma ligação importante ou resolva sair do grupo e ficar de fora de alguma conversa interessante, dê uma olhada na seção de Info do Grupo no seu Whatsapp.

foto 1Funciona assim:
1. Entre na conversa de algum grupo que está te atrapalhando.
2. Clique lá no topo, sobre o nome do grupo.
3. Na tela de Info do Grupo, clique na opção Mudo.
4. Selecione a opção que lhe for mais conveniente: 8 horas, 1 semana ou 1 ano.

Se você quer apenas dormir em paz, 8 horas é suficiente. As mensagens vão continuar chegando no seu celular mas não vão mais atrapalhar o seu sono.
Oito horas também é uma boa opção para quem não quer ser incomodado no trabalho. Note que esse ajuste é por grupo, então você pode silenciar um grupo de amigos durante o dia sem afetar os grupos do trabalho.
Se for sair de férias, 1 semana é uma boa opção para silenciar os grupos do trabalho.
Sinceramente, não sei pra que serve a opção de 1 ano. Talvez para um daqueles grupos chatos, mas nesse caso seria melhor sair do grupo, certo?

Outra coisa que estava me incomodando muito é que eu estava sempre com pouco espaço disponível no celular. E quanto menos espaço, mais lento ele fica. Sem contar que eu nunca tinha espaço quando queria gravar um vídeo.

A primeira providência foi começar a apagar fotos e videos. Não tem nada pior do que isso para acabar com o espaço do celular. Mas por mais que eu deletasse, em pouco tempo já estava sem espaço novamente.

Foi só quando resolvi apagar alguns aplicativos que não uso que percebi que o Whatsapp estava ocupando quase 1 Gb de espaço. Considerando que o meu iPhone tem só 16 Gb, é muita coisa!
Por mais que o Whatsapp seja um aplicativo extremamente útil e quase indispensável prá quem se já se acostumou, consumir quase 1 Gb do parco espaço do meu celular é um absurdo!

Só que não é exatamente o aplicativo que ocupa todo esse espaço; são principalmente as fotos e os videos que os amigos enviam.
Não é à toa que eu estava sempre sem espaço! Ainda mais nessa época de eleições em que virou moda compartilhar videos pelo Whatsapp. E o pior é que quando você recebe o mesmo video ou foto em dois grupos diferentes eles ocupam o dobro do espaço!

Mas descobri que tem jeito prá isso.
1. Entre na conversa de um grupo que costuma compartilhar fotos ou videos
2. Clique lá no topo, sobre o nome do grupo.
3. Na tela de Info do Grupo, clique na opção Todas as Mídias
4. Apague tudo aquilo que não te interessa guardar
5. Seu celular vai respirar mais aliviado.

Obs.: Quando você apaga as fotos e videos elas também somem da tela da conversa.

foto 2

Outro ajuste interessante se aplica a todas as conversas do Whatsapp e vale a pena se o seu plano de dados é limitado.

1. Clique no botão de Ajustes, lá em baixo à direita, fora das telas de conversa
2. Clique na opção Ajustes de Conversa
3. Clique na opção Download Automático de Mídia
4. Clique em cada uma das opções (Imagens, Áudio e Vídeo) e selecione a que melhor lhe convier (Nunca, Wi-Fi ou Wi-Fi e Celular)

Obs.: Se você selecionar a opção Nunca, as imagens aparecem na conversa mas você precisa baixá-las manualmente. Na opção Wi-Fi elas só baixam automaticamente quando você estiver conectado a uma rede Wi-fi mas sempre pode baixar manualmente se quiser.

Ainda na tela Ajustes de Conversa, veja a opção Salvar Mídia Recebida. Quando ela esta ativa, todas as fotos e videos vão para o Rolo da Câmera (no iPhone) ou Galeria de Fotos (no Android).
Se você já se deparou com fotos no seu celular sem saber de onde vieram, deve ser porque essa opção está ativa.
Se você desativá-la, lembre de salvar manualmente as fotos que quiser guardar.

E já que estamos no assunto de Whatsapp, sabe aquela história dos dois tiques na mensagem?

Não é indicativo de que a pessoa leu a mensagem!! Só significa que a mensagem foi entregue no celular do destinatário.
Se a mensagem está com um tique só é provável que o celular do destinatário esteja sem acesso à rede de dados ou Wifi. Não brigue mais com o amigo que não viu a sua mensagem. O Whatsapp não avisa quando a mensagem foi lida.

E uma última dica: Já recebeu alguma daquelas mensagens dizendo que “A partir de amanhã, o WhatsApp vai começar a cobrar 37 centavos por mensagem enviada. Forma de evitar cobrança seria repassando a mensagem para nove amigos.”?
A mensagem é falsa, mesmo com bolinha verde! Não repasse para ninguém e avise aos seus amigos para não caírem mais nessa. O texto pode variar, mas o Whatsapp não cobra por mensagem.

Obs.: As imagens das telas são do iPhone. É possível que no Android seja um pouco diferente mas funciona da mesma forma.

Escrevi este artigo há mais de dois anos, na época das eleições municipais. Relendo, percebi que o texto continua atual, mas as dicas que passei na época ficaram desatualizadas. O Facebook facilitou muito a vida de quem não quer ver a sua página entupida de propaganda eleitoral, ou qualquer outra publicação que não seja do nosso interesse.

Por isso, estou republicando com as dicas atualizadas.

Nessa época de eleições algumas pessoas se envolvem mais do que outras.

As mais entusiasmadas contra ou favor de determinado candidato utilizam as redes sociais em geral, e o Facebook em particular, para tentar angariar seguidores.

É compreensível que os ânimos se esquentem e, muitas vezes, as pessoas perdem a noção de medida.

E, de repente, um amigo se transforma em cabo eleitoral virtual, enchendo o seu mural com propaganda política.

Em alguns casos, isso pode ser motivo para acabar com a amizade, virtual e física.

“Como ele pode ser capaz de votar naquele candidato?”
“E ainda esperar que eu também vote nele?”

Em outras, podemos até concordar com o voto mas, assim como existem proibições à poluição visual nas ruas, temos que zelar pelo nosso espaço virtual.
Não queremos entrar no Facebook e encontrá-lo coalhado de “santinhos”.

Mas as eleições são transitórias. É só até o final de outubro.

Se você gosta do seu amigo, mas não suporta essa fase eleitoreira, não há motivo para bloqueá-lo ou desfazer a amizade no Facebook. Basta desmarcar a opção “Seguindo” e você não verá mais nada que ele publica.

É rápido, indolor e ninguém ficará sabendo a não ser você. Você pode alterar quando quiser, de preferência, depois que passarem as eleições.

fb_bloqueio

Considerando o nível que as eleições presidenciais atingiram, com a “troca de gentilezas” entre os seguidores de ambos os candidatos, muitas vezes é necessário bloquear a pessoa para não se aborrecer.

O bloqueio vale inclusive para pessoas que não são seus amigos mas que podem comentar nos seus posts públicos ou liberados para amigos de amigos.

Assim como a opção de parar de seguir ou dar um “unfollow” como se diz por aí, o Facebook facilitou muito a tarefa de bloquear uma pessoa. Veja a imagem ao lado.

Mais alguns dias e teremos um novo presidente… ou a mesma. Quem sabe? Nem as pesquisas tem muita certeza ….

Vote consciente!

 

 

 

Quando me mudei de São Paulo para o Rio de Janeiro, e lá se vão uns 15 anos, uma das minhas maiores alegrias  foi me livrar dos constantes engarrafamentos da capital paulista. Existiam engarrafamentos no Rio, é claro, mas nada comparáveis aos de São Paulo!

Mais de uma hora para percorrer os 10 quilômetros que separavam a minha casa do trabalho era para deixar qualquer um de mau humor. Sair mais cedo de casa, ficar até mais tarde no trabalho eram algumas das táticas para tentar diminuir o tempo parada atrás do volante, o que implicava em mais tempo para o trabalho e menos para família e lazer.

Hoje em dia o trânsito no Rio está tão ruim quanto o que deixei em São Paulo. Carros demais, transporte público ineficiente, sinais de trânsito dessincronizados, obras que prometem melhorar o trânsito lá para 2016, quando quem quiser assistir aos Jogos Olímpicos terá que cruzar a cidade. E por enquanto, vamos enfrentando os engarrafamentos, reclamando no Facebook, Twitter e Whatsapp e nos acostumando a conviver com mais uma dor de cabeça diária.

Uma amiga resolveu trocar o seu apartamento recém reformado no Flamengo por outro na Barra, perto do trabalho, porque não aguentava mais gastar quatro horas do seu dia tentando chegar de um ponto a outro. Um amigo fez o inverso, trocou o emprego na Barra por outro no Centro, onde pode chegar de metro em menos tempo.

Mas quem não tem opção ou não quer trocar de emprego ou apartamento hoje conta com um aliado tecnológico que eu não tinha há 15 anos, quando tentava descobrir atalhos para abreviar o meu trajeto em São Paulo – o Waze.

Muita gente que tem um smartphone provavelmente já tem o Waze instalado mas descobri recentemente que também muitos que não sabem aproveitar os recursos de rota.

Normalmente, só pesquisamos uma rota quando não sabemos como chegar a algum lugar, mas com a situação atual do trânsito o caminho conhecido nem sempre é o melhor. As vezes, um trajeto um pouco mais longo é a melhor alternativa para chegar mais rápido ao destino.

Toda quinta-feira a noite eu tenho que ir de Botafogo para a Lagoa, um trajeto de menos de 5 km que pode demorar entre 30 minutos e uma hora dependendo das condições do trânsito. Na semana passada, como sempre, pesquisei no Waze a melhor rota. Normalmente, ele me dá três opções conhecidas mas dessa vez ele me sugeriu uma outra rota bem mais longa, que me faria dar uma volta que achei desnecessária. Resolvi ignorá-lo e segui por um dos caminhos de costume. Depois de 15 minutos parada no mesmo lugar resolvi perguntar novamente ao Waze qual a melhor rota e de novo ele me sugeriu o trajeto mais longo. Dessa vez resolvi aceitar a sugestão. Melhor do que ficar parada resmungando comigo mesma. E não é que funcionou?

E não foi só isso. No meio do caminho, o bichinho me avisa – tenho uma alternativa melhor! Me mandou desviar do Jardim Botânico para a Gávea.  A essas alturas, eu já não ia mais duvidar dos seus poderes. Embiquei no caminho indicado e consegui chegar no meu destino sem enfrentar quase nenhum engarrafamento e bem antes das minhas amigas que ficaram paradas no meio do caminho reclamando pelo whatsapp.

O Waze não serve apenas para quem tem carro. Imagine que você está preso em um engarrafamento dentro de um taxi. Além do aborrecimento de ficar parado no trânsito ainda tem o taxímetro que não pára nunca. Se o motorista não tiver o Waze, use o seu e sugira um caminho melhor.

Se você ainda não aprendeu a utilizar o recurso de rotas do Waze, aqui vai um passo a passo para facilitar a sua vida no trânsito.

1. Abra o Waze no seu celular

2. Clique no botão no canto inferior direito e selecione Navegar na tela seguinte ou apenas deslize o botão para ir direto para a tela de navegação.

Waze1   image

3. Informe o endereço para onde você quer ir

image

4. Se a busca retornar mais de uma opção, clique no endereço correto

image  image

5. Aguarde enquanto o waze processa o seu pedido. As vezes, pode demorar um pouco, dependendo do sinal do celular ou das condições do trânsito.

6. Clique no botão Ir para aceitar a rota que ele escolheu ou no botão Rotas para ver alternativas

image

7. Se você escolheu ver as alternativas, selecione a que lhe parece melhor, clique no botão Ir e Boa Viagem!

image

Note que para cada rota, o Waze te informa o tempo estimado, a distância e os pontos de engarrafamento e polícia. Nesse exemplo, a terceira opção é mais curta do que a segunda mas também mais demorada devido aos vários pontos de retenção.

Ou mais uma história de como irritar seus clientes com sites mal concebidos.

Ontem à noite estava efetuando a compra de passagens para uma viagem para São Paulo que eu e algumas amigas faremos em dezembro.
Pesquisamos preços e a GOL tinha as melhores tarifas então combinamos de efetuar a compra juntas para garantir os assentos próximos. Cada uma na sua casa, na frente do seu computador mas se comunicando via chat.

Até aí, nada demais, já tínhamos feito isso várias vezes antes. É um pouco complicado mas divertido ao mesmo tempo.

Selecionamos os voos de ida e volta, os assentos uma ao lado da outra em duas fileiras do avião. Até aí, tudo normal.

O problema aconteceu depois que eu já tinha preenchido todos os dados de pagamento e confirmei a reserva.

Ao invés de receber o código do localizador, recebi uma mensagem de erro dizendo que a minha reserva não pode ser concluída.

Ok. Problemas acontecem. Sistemas não são 100% isentos de erros, apesar de todos os esforços das pessoas que programam e testam.
Já trabalhei com isso e entendo, por isso, calmamente, procurei o botão para reiniciar a operação. Não encontrei.
Alguém lá na equipe que programa o site não deve ter pensado que apesar de ter recebido uma mensagem de erro o cliente ainda pode querer comprar a passagem. Respirei fundo, fechei a janela, abri de novo e recomecei todo o procedimento.

Qual não foi a minha surpresa quando o voo que eu e minhas amigas tínhamos escolhido para a volta não tinha mais a tarifa de R$ 88,90. Se eu quisesse voltar nesse voo, agora tinha que desembolsar R$144,90!
A tarifa mais barata só estava disponível para o voo seguinte, então selecionei esse mesmo e consegui concluir a transação.

Avisei às minhas amigas que não poderia mais voltar no mesmo voo que elas e alguém sugeriu ligar para a central de atendimento para explicar o que tinha acontecido e tentar conseguir a alteração.

Foi o que fiz hoje. Primeiro tentei o chat de atendimento no site porque, afinal, ninguém mais tem paciência de ficar pendurado no telefone. Fui atendida rapidamente, mas não adiantou nada.

A moça que me atendeu afirmou “Quando a tarifa se esgota para venda no site não é possível adquirir a passagem com o mesmo valor, para alterar a reserva você irá pagar a taxa de remarcação mais a diferença no valor da tarifa que estiver disponível. Lembrando apenas que a Gol não trabalha com tarifas fixas, devido escalonamento tarifário os valores podem sofrer alteração a qualquer momento.”.

A minha tentativa de explicar que tinha ocorrido um erro no site durante o procedimento de compra e que eu não deveria ser penalizada por isso não adiantou nada.

“Entendo Marisa, se preferir você pode entrar em contato com o SAC para verificar se há alguma possibilidade de fazer esta alteração.” escreveu ela.

Não consegui escapar do telefone. Liguei para o número informado (que não recebe ligações de celular) e consegui ser atendida rapidamente. Pelo menos, isso.
Expliquei toda a história novamente e a atendente me deu a mesma explicação sobre a GOL não trabalhar com tarifas fixas, etc.

O choque foi escutar que eles não garantem a tarifa selecionada nem mesmo entre o momento que você seleciona o voo até a confirmação do pagamento, mesmo que você não deixe a janela aberta e vá tomar um cafezinho, por exemplo.
Em outras palavras, se você começar o todo o procedimento de seleção de voo, preenchimento dos dados dos passageiros, marcação de assentos, dados de pagamento, mas alguma outra pessoa finalizar a operação antes e adquirir a última passagem com a tarifa mais barata você perdeu!

Ao invés de fazer uma “reserva temporária”, até que o cliente finalize a operação, desista, ou o tempo se esgote, eles simplesmente prejudicam quem está no meio do processo mas infelizmente perdeu a corrida das tarifas.

E não adianta ligar para reclamar. É assim, e pronto. A atendente disse que eu até poderia registrar uma reclamação mas seria apenas para “uso interno” e que eu não teria nenhum retorno.

Portanto, se você for comprar passagens pela GOL com tarifas promocionais, reze para quem não tenha outras pessoas concorrendo com você pela última passagem.

Não sei se o mesmo acontece com outras companhias aéreas. Essa foi a minha primeira experiência.

O mais irritante é que eles não fazem nada para tentar resolver. Imagino que isso não deve acontecer aos milhares, nem centenas ou mesmo dezenas. Portanto se acontece e o cliente reclama, eles poderiam assumir que o procedimento é falho, satisfazer o cliente e melhorar a programação do site, Mas exatamente porque não deve acontecer muito, eles não se incomodam em irritar um ou outro cliente.

Isso já aconteceu com você?

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 114 outros seguidores