Você se acha viciado em internet?

No outro dia esbarrei num artigo de Paul Miller, um articulista de tecnologia da revista online The Verge que está fazendo uma experiência de passar um ano desconectado. Offline. Sem nenhum contato com o mundo através da internet.

Diz ele que quer ter a experiência de ver a internet de longe, para ter uma noção de quais aspectos tem valor real, quais são mera distração e quais corrompem a sua alma (palavras dele, não minhas).

É óbvio que ele continua escrevendo e publicando. Só que fará isso a maneira antiga, imprimindo, gravando em pen-drive para entregar a matéria. Afinal, não faria sentido um escritor passar por uma experiência desse tipo e não escrever a respeito.

Ontem vi essa charge na Revista do Globo.

Gente Fina – Revista O Globo – 10/06/2012

Agora, além de todos os vícios que já conhecíamos, como álcool, tabaco, drogas em geral e apostas, também temos que nos preocupar com o vício em internet. Assim como os outros vícios, existem pessoas que são mais suscetíveis e outras imunes.

Acredito que o vício em internet é mais uma questão de hábito. A gente se acostuma a acordar, ler emails, checar as redes sociais, acompanhar as notícias e as bobagens durante do dia, falar com os amigos, combinar encontros, compartilhar as nossas fotos e experiências e comentar as dos outros, pagar contas, comprar coisas de que precisamos e outras nem tanto.

Mas você já pensou se de repente não existisse mais a internet como você conhece? Ou ela existisse mas você não pudesse acessá-la?

Não precisamos ir muito longe. Com a qualidade dos serviços de conexão que temos, não é raro ficarmos desconectados por algumas horas ou até mesmo dias.

Como você se sente nesses momentos? Desesperado? Deprimido? Ou aproveita a oportunidade para fazer tudo aquilo que tem vontade mas não consegue porque quando percebe já é de madrugada e você ainda está no Facebook?

Hoje li essa notícia publicada na sexta-feira dizendo que a “ONU pode criar tarifas sobre acessos ao Google e Facebook fora dos EUA“. De acordo com a notícia, “A ONU pode criar uma taxa que dificultará e tornará mais caro o acesso a sites de alto tráfego por usuários de países em desenvolvimento. Um grupo de empresas de telecomunicações está pressionando a União Internacional de Telecomunicações (ITU, na sigla em inglês) para que os serviços online paguem para enviar e receber tráfego de outros países, afetando seriamente empresas como Facebook, Google e Netflix.

Sem discutir o mérito da proposta ou se ela vai vingar ou não, você está preparado para conviver com uma internet mais restrita?

Acho que vale a pena parar por um momento e refletir o quanto você é dependente da internet. Ou não.

P.S.: Se você quiser ler sobre a experiência do Paul Miller sobre o seu ano sem internet siga este link. (em inglês).

Anúncios

Dê sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s