“Não existe essa coisa de sair da internet”

A essa altura do campeonato, todo mundo já deve ter ouvido falar da batalha jurídica da Xuxa contra o Google para que eles removam dos seus resultados pesquisas relacionando os termos “pedofilia” e “pornografia” ao nome da apresentadora, além de fotos antigas em que ela aparece nua.

Por enquanto, o Google está ganhando e o título deste artigo se refere ao comentário da diretora da gigante das buscas – “Não existe essa coisa de sair da internet”.

Como assim, não dá prá sair?

Uma vez que uma foto, vídeo ou texto foi publicado na internet  não existe nenhum mecanismo de controle que impeça que ele seja replicado, copiado, compartilhado e até mesmo modificado. E os mecanismos de indexação do Google, Bing e outros menos conhecidos vão atrás, criando formas para que ele seja encontrado por quem procura.

Nesta semana descobri um site que coleta e exibe informações comprometedoras dos usuários do Facebook.

Mas, não se assuste, ainda.

O site só mostra os compartilhamentos públicos e, por enquanto, só em língua inglesa. O nome do site é We Know What You’re Doing que significa em português “Nós sabemos o que você está fazendo”.

O site se intitula um “experimento” e busca compartilhamentos públicos no Facebook em quatro categorias: “Quem quer ser demitido”, “Quem está de ressaca”, “Quem usa drogas” e “Quem está com um número de telefone novo”. É inacreditável a quantidade de besteiras que as pessoas escrevem na rede!

As lições que tiramos para os tempos de hoje são que:

1. Mesmo uma foto comprometedora antiga pode ser escaneada e jogada na internet (o mesmo vale para textos e vídeos)

2. O Facebook oferece formas de proteger o que você publica apenas para os seus amigos ou até mesmo uma parcela deles

3. Comentários feitos em sites e blogs na internet são públicos; qualquer pessoa pode ver

4. A não ser que você queria compartilhar o seu número de telefone ou até mesmo seu endereço com o mundo, “mande por inbox”, como pessoal diz hoje no Facebook.

Resumindo:

Para aqueles que gostam de compartilhar suas fotos, pensamentos e opiniões, pratiquem o bom senso. Nunca é demais!

E para aqueles que têm medo de compartilhar suas idéias na redes sociais porque não sabem quem está vendo, procurem saber como proteger o seu perfil. Seus amigos também querem escutar vocês.

E, por último, mas não menos importante.

Se você gosta de sair e beber um pouco além da conta, além de não dirigir, leve um celular básico, sem câmera e sem acesso à internet. Dessa forma você não corre o risco de postar alguma besteira ou foto comprometedora sob a influência do álcool e se arrepender depois. E se for assaltado, o prejuízo é pequeno.

Bom senso, gente!

Procurando uma imagem para ilustrar esse artigo descobri que existe um aplicativo chamado “DrunkBlocker” que impede o usuário de fazer ligações comprometedoras enquanto estiver inebriado. Mas apenas para Android.

Será que os usuários de iPhone e BlackBerry são menos suscetíveis?

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. Hamilton disse:

    A questão maior é que enquanto a vida é dinâmica, a cyber memória é indestrutível. O momento atual invariavelmente é distinto do passado por isso como bem sugere o texto, devemos usar sem nenhuma moderação o BOM SENSO antes de sair postando para não haver arrependimentos futuros.

Dê sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s