Você sabe o que é um meme?

Quanto maior a exposição, maior a chance de alcançar as pessoas.
Por isso, os anunciantes pagam fortunas para aparecer nos intervalos dos programas de televisão com maior audiência pois terão a chance de ser vistos por milhões de pessoas e, talvez, conseguirem transmitir a sua mensagem.

Pelo mesmo motivo, os candidatos à eleição brigam por tempo no horário eleitoral gratuito e fazem alianças inomináveis para aumentar o seu tempo de exposição. Tudo para que o eleitor, de tanto ver o seu número, acabe lembrando dele na cabine de voto.

Os chamados “virais” da internet seguem a mesma fórmula mas na maioria dos casos, não são incentivados por quem postou a foto ou o vídeo. São uma reação espontânea das pessoas, que curtem e desejam compartilhar com seus amigos.

Muitas vezes, não há mensagem nenhuma. Pode ser um vídeo bobo ou engraçadinho e quanto mais pessoas curtem, mais se fala e escreve a respeito e o link vai sendo divulgado e mais pessoas vão assisti-lo apenas pela curiosidade de saber porque está se falando tanto a respeito.

Como você já deve ter associado, o termo viral vem da palavra vírus, porque se propaga rapidamente entre a população. E a internet é o meio mais propício para a rápida proliferação, por sua velocidade e capacidade de atingir milhões de pessoas em pouco tempo.

O viral da vez aqui é no Brasil é o vídeo do Nissim Ourfali, um garoto paulista de 13 anos.
O vídeo foi produzido para a comemoração do seu bar-mitzvah, festa que celebra a maioridade religiosa dos meninos judeus. Era para ter sido exibido apenas na festa mas sua família o colocou no YouTube para que pudesse ser visto por outros familiares que não estavam presentes. E, a partir daí virou um meme da internet.
 Meme?

Até algum tempo atrás eu também não sabia o que era isso. Às vezes, em conversas com meus filhos à mesa do jantar surgia um assunto que eu desconhecia. Quando perguntava do que se tratava eles replicavam: “Ah, mãe! É um meme!” como se fosse a coisa mais óbvia do mundo. “E o que é um meme?”  “É uma coisa da internet!“.

Fez algum sentido para vocês? Para mim também não.

 Segundo a Wikipedia, o meme é um conceito que se espalha via internet. Só comecei a captar o sentido dos memes quando comecei a usar o Facebook e ver os mesmas imagens, desenhos ou dizeres sendo continuamente modificados e compartilhados.

Provavelmente, você já viu vários, mas não sabia que se chamavam assim. O termo não nasceu com a internet mas se popularizou através dela como muitas coisas nos dias de hoje.

Um dos mais famosos nos dias de hoje é o cartaz “Keep Calm and… ” que originalmente era “Keep Calm and Carry On“, um poster criado em 1939 pelo governo britânico para elevar o moral da população às vésperas da Segunda Guerra Mundial.

De repente, ele caiu na internet e foi sendo modificado para várias situações. Basta procurar na internet pelas palavras “keep calm” e qualquer outro termo da moda que você encontrará centenas de referências.

Qualquer coisa pode virar um meme na internet. Um vídeo, uma foto engraçada, uma frase, um jogo de palavras.

Até o Presidente Barack Obama já virou meme, portanto, ninguém está imune!

É claro que nem tudo se torna viral. Os marketeiros adorariam descobrir a fórmula e têm várias teorias para isso.

E nem todo viral precisa ser engraçado, mas ajuda. Portanto é bom não facilitar.

Para terminar, uma dica. Se você quer colocar um video no YouTube mas não quer que ele se torne um viral como o do Nissim Ourfali, use as configurações de privacidade. O padrão é público mas você pode restringir a privacidade de duas formas: não listado e privado.

Não listado significa que o video não aparecerá em nenhuma busca feita no YouTube ou na internet em geral. Para divulgá-lo você precisa enviar o link ou compartilhar o video com quem você quiser. Mas isso não impede que essas pessoas o compartilhem com outras. Portanto, tome cuidado ao utilizar esse formato.

Como aconteceu com o Nissim Ourfali. Dizem que quando o vídeo começou a atingir a viralidade a família o tirou do YouTube mas não adiantou nada. Ele já tinha sido copiado e multiplicado pela internet.

No modo privado, você define quais usuários do YouTube terão acesso ao vídeo. É o modo mais restrito mas exige que as pessoas tenham uma conta no Google.

Anúncios

4 comentários Adicione o seu

  1. Hamilton disse:

    essa linguagem internetês ainda é complicada pra mim

    1. É para isso que estamos aqui! Para simplificar o internetês!

  2. Rony disse:

    Uma database interessante que mostra as origens e ramificações dos memes:
    http://knowyourmeme.com/

  3. Claudia Kamergorodski disse:

    Muito bom, não sabia e nem nunca tinha ouvido falar de meme..

Dê sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s