O drama do bloqueio do Whatsapp

whatsapp bloqueado

A confusão começou no final da tarde de ontem.
Pelo menos, foi a essa hora que eu tomei conhecimento.
A notícia de que o Whatsapp ia ser bloqueado por 48 horas a partir da meia-noite se espalhou que nem fogo no mato seco.
Se alguém ainda estava trabalhando, provavelmente não conseguiu mais continuar.

A todo momento pipocavam informações e desinformações. Ninguém sabia ao certo se era verdade ou boato e as redes sociais so falavam disso.
Até que “deu no Jornal Nacional”. Então deve ser verdade mesmo.

Em dado momento, aparece a notícia que um desembargador cassou a liminar e que o Whatsapp não ia mais ser bloqueado. Para a felicidade geral da nação.
Mas a alegria durou pouco, a notícia era de fevereiro, quando as operadoras de telefonia tinham ameaçado bloquear o Whatsapp porque ele estaria prejudicando o faturamento delas com torpedos e ligações.

Como passar 48 horas sem Whatsapp?

Os sites especializados mais do que rapidamente publicaram alternativas ao Whatsapp: Viber, Telegram, Skype, Facebook Messenger, Kakao Talk, Line, Google Hangout, etc.
E as pessoas correram a instalar novos aplicativos nos seus smartphones.
Tanto o Viber como o Telegram enviam um código de autenticação por SMS para finalizar a instalação. Os servidores deles ficaram tão congestionados que não conseguiam dar conta do fluxo de solicitações.

Eu já tinha o Viber e até recriei alguns dos meus grupos do Whatsapp por lá.
Resolvi instalar o Telegram também. Óbvio que não consegui receber o código por SMS. Como alternativa, eles pedem para enviar um email. Enviei. Logo em seguida recebi retorno informando que a minha a mensagem não pode ser entregue porque o servidor estava recebendo mensagens demais e não tinha como processá-las.

Imaginei os milhões de brasileiros que iam ficar órfãos temporários do Whatsapp fazendo a mesma coisa que eu.

A meia-noite em ponto o Whatsapp parou de funcionar.
Já estava me preparando para dormir quando uma amiga me manda uma mensagem (pelo Facebook) perguntando se um aplicativo de VPN iria desbloquear o Whatsapp. Fui ler sobre o que ela estava falando.

O pessoal que trabalha nos sites especializados não deve ter dormido. Agora o assunto da vez eram os aplicativos de VPN. Vários tutoriais explicavam como instalar.
No Facebook os amigos reportavam que tinham instalado esse ou aquele aplicativo e que o Whatsapp estava funcionando novamente. Maravilha!

Todos eles eram leigos que provavelmente não sabiam e talvez ainda não saibam o que é uma VPN e que existem vários riscos de segurança. Mas o importante era furar o bloqueio do Whatsapp!
Respondi à minha amiga que provavelmente funcionaria mas para ela deixar isso para o dia seguinte. E fui dormir.

Quando acordei, o caos continuava. Alguns aplicativos de VPN funcionavam, outros mais ou menos. Nesse momento já tinham começado a surgir artigos explicando sobre os riscos de segurança.
E durante todo esse tempo só se falava em um único assunto. Se falava pelo Facebook, Viber, Telegram, Twitter… O Whatsapp não estava totalmente bloqueado. Estava funcionando para alguns. E as pessoas ficavam olhando para a telinha esperando prá ver se ele conectava. E ninguém conseguia trabalhar.

Até o impeachment ficou em segundo plano a não ser pelos memes que surgiram. Só se falou no bloqueio do Whatsapp.
Falava-se até em ir para a rua protestar!

Até que, no início da tarde de hoje, derrubaram a liminar e o Whatsapp foi desbloqueado. E o país pode voltar a funcionar.

Muito se escreveu sobre a constitucionalidade ou não do bloqueio, se o motivo era válido, se isso é uma atitude ditatorial e para onde o governo está levando o país.

O que me impressionou nesse episódio do bloqueio é como ficamos dependentes de um único aplicativo. Existem outros, como mencionei lá em cima. Mas uma rede social, como é o caso dos aplicativos de mensagens, só faz sucesso se as pessoas utilizam. De que adianta eu instalar o Kakao Talk, por exemplo, se nenhum dos meus amigos utiliza? Vou me comunicar com quem?

Foi o caso do ICQ em um passado não tão longínquo, que depois que foi vendido para a AOL perdeu seu público para o MSN Messenger aqui no Brasil, que perdeu para o Whatsapp.
Talvez tenha existido algum outro no meio do caminho mas já esqueci.

E porque o bloqueio causou tanta comoção? Porque ele é, hoje em dia, uma ferramenta de comunicação tão ou mais importante que o email. É verdade que muitas pessoas só usam para bater papo e mandar fotos e vídeos, mas muita gente utiliza no trabalho, para falar com clientes e fornecedores. É claro que existem os outros, existem opções, mas é difícil mudar de uma hora para outra. E mais difícil ainda utilizar mais de um meio de comunicação. Se um só já perturba o dia inteiro, imagina dois ou mais?

Sem o Whatsapp o país para.
O brasileiro é um povo esperto e sempre dá um jeitinho. O governo decidiu bloquear o Whatsapp e o pessoal rapidamente descobriu a VPN para burlar o bloqueio.
Se somos assim tão espertos, porque continuamos com o governo que temos?

Anúncios

Dê sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s