Quando o Google tradutor não serve apenas para traduzir

A dica de hoje é do meu ortopedista. Pessoas normais têm clínico geral, mulheres têm ginecologista ( e se não têm deveriam ter, pelo menos uma vez por ano) e gente que dança, como eu, tem ortopedista. Um dia é uma torção, no outro uma fascite plantar; hoje foi uma sinovite. Não sei o que é isso, só sei que dói.

Mas estou aqui divagando e vocês querendo saber qual é a dica. Já vou chegar lá.

Pois então, depois que ele olhou meu pé, aperta daqui, aperta dali até eu gritar “É aí!!!” vem a frase costumeira: “Precisamos tirar uma chapa”. E me manda pro raio-X.

Estou lá sentadinha esperando a minha vez e ele volta. Vendo que ainda tem muita gente na minha frente me chama pra me mostrar uma coisa no celular.
“Tenho uma dica pro seu blog. Olha só.”
Ele me conta que vai ter que dar uma aula em inglês num congresso de ortopedia. Até aí nada demais. Ele faz isso o tempo todo. Aí ele põe pra tocar no celular uma gravação de uma mulher dando a tal aula em inglês.
Não entendi nada. “A aula é sua ou dela?
Ele vira pra mim com aquele olhar de “eu descobri uma coisa que você não sabe” e me pergunta “Sabe como eu fiz isso?”
“Nem imagino.”

Todo feliz, ele me conta  que usou o Google Tradutor. Jogou todo o texto da aula já traduzido para o inglês e usou aquele botãozinho pra reproduzir o som.
“Pra que você fez isso?”
“Pra treinar a aula escutando o inglês com uma pronúncia melhor do que a minha!”

Espertinho, não?

 

É claro que eu já conhecia o botão que “fala a tradução”. Mas nunca pensei em utilizá-lo dessa forma. Isso é uma das coisas que gosto na tecnologia. Não importa para o que ela foi concebida, sempre tem alguém que acha uma nova forma de adaptar e utilizar.

O recurso de reprodução do som não ainda não está disponível para todos os idiomas mas aqueles que já têm também permitem que você fale uma palavra ou uma frase ao invés de escrever. É claro que, dependendo da pronúncia, ele pode entender uma coisa totalmente diferente. Mas como o meu ortopedista percebeu, é um ótimo recurso para treinar a sua pronúncia.

Já que o assunto de hoje é o Google Tradutor, não posso terminar sem mencionar algo muito importante.

O Google Tradutor é uma ótima ferramenta para traduzir palavras, algumas expressões e até mesmo frases não muito complexas. Mas ele não é perfeito. Tanto que do lado do texto traduzido sempre aparece um botão para você sugerir uma tradução melhor.

Nem todo mundo percebe isso, principalmente quando não conhece muito bem o idioma para o qual quer traduzir. Ele não compreende todas as regras gramaticais e muitas vezes o texto traduzido vira uma salada incompreensível.

Se você não quer passar vergonha, não use o Google Tradutor para traduzir um email profissional, um texto para uma aula ou qualquer outra coisa importante, a menos que você tenha conhecimento suficiente no idioma para o qual está traduzindo ou um amigo que possa revisar para você.

No mais, é uma ferramenta sensacional e vai ficando cada vez melhor.

Para exemplificar o problema com algumas traduções, fiz a experiência com o texto acima em inglês e espanhol. Se você domina um ou outro pode perceber que a tradução está quase correta mas contém alguns errinhos que podem passar desapercebidos para quem não conhece o idioma mas denunciam que a tradução foi feita pelo Google.

google translate - espanhol

google translate

 

Voltando ao meu ortopedista, eu não podia ir embora ser dar o troco.

Perguntei a ele:

– Você sabia que pode tirar uma foto de uma imagem com texto e usar o aplicativo do Google tradutor no celular para reconhecer e traduzir o texto da imagem? Muito útil para placas em idiomas estrangeiros.

Essa ele não sabia. E você?

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. Sergio Szuster disse:

    Oi Má….com o Waze acontece a mesma coisa, ele é tão impreciso como o Google translator….

    Todos tem uma reclamação do waze. Ele é puramente matemático.

    As vezes ele faz você dar umas voltam absurdas para supostamente economizar 2 minutos, na verdade ele joga dezenas de carros

    no mesmo sentido, criando outro congestionamento nas ruas alternativas.( se estiverem navegando por ele)

    O problema é que ele analisa mas não pensa.

    Bjs Buju

    1. Oi, Buju
      Não tenho usado tanto o Waze ultimamente mas ele já me salvou de alguns engarrafamentos. Prefiro dar uma volta mais longa do que ficar parada.

      Mas nunca usei em São Paulo. Aí deve ser um desafio enorme apesar de ter mais alternativas que o Rio. A nossa zona sul é um enorme corredor! 😉

      Bjs, Marisa

Dê sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s